segunda-feira, 12 de abril de 2010

OUVINDO O MEDO


Escuro. Tudo estava escuro. A luz havia acabado, e lá fora se ouvia apenas o sussurrar do vento que lambia as venezianas com ternura, aflorando um medo que começava a se apresentar. Tobias e sua mãe estavam jantando e, subitamente, a luz se ausentou.

— Mãe, onde você está? Eu to com medo... — disse ele.

— Calma, filho, a mãe está aqui. Fique quietinho que eu vou catar uma vela.

Tentando acostumar-se com a escuridão, Tobias permaneceu sentado. Os minutos que passavam pareciam ser eternos. Não via nenhum palmo a sua frente e aquela sensação de medo lhe fazia perder a respiração. Sentiu o seu pobre coraçãozinho arder ao ouvir um forte ruído e sentiu vontade de chamar por sua mãe. Ele não sabia, mas havia alguém sentado ao seu lado.

— Mãe, cadê você?

Não ouve resposta.

— Manhê! — gritou. — Eu to com medo...

— Calma, filho, a mãe está aqui. Fique calmo.

Mary estava de costas e trazia em um pequeno prato um toquinho de vela que alimentava toda a cozinha. Uma luz amarelada iluminava uma parcela daquela penumbra que trazia tensão aos olhos e ao coração do menino. Sua mãe se virou. Tobias teve a impressão de que morreria.

Aquilo atrás dela realmente existia. Era sinistro e nojento. Era aterrorizante.

— Mãe... Não olha... Tem alguma coisa atrás de você. Não olha mãe... Não olha!

— Pare de me assustar, Tobias. Você sabe que eu não gosto disso.

Ao se virar, Mary visualizou aquilo as suas costas. Ligeiramente aquele ser de outro mundo cravou suas garras nos braços da mulher e, com agilidade, fez sair uma enorme mandíbula de dentro de sua boca. Tobias via a tudo boquiaberto. Não sabia o que fazer e nem como proceder. Aquela coisa tinha a cabeça em formato oval, com três grandes olhos na face. Era grande, munida de garras, músculos e dentes afiados. Tobias não parava de tremer ao ver aquela coisa que ele nunca imaginou que realmente pudesse existir. Gosmas escorriam da boca e das mãos daquele monstro horrendo.

De repente o prato com a vela caiu, e novamente a escuridão tomou conta daquele lugar e dos olhos de Tobias, que agora não via mais nada, apenas ouvia. Ouvia que sua mãe gritava sem parar, ouvia o quebrar dos ossos das suas costas e um certo volume de liquido que se esparramava no chão. Tobias estava em pé, mergulhado naquela penumbra amarga que lhe trazia dor, medo e uma morte que jamais chegou a ver, apenas a ouvir. Começou a chorar silenciosamente ao perceber que os ruídos e gritos haviam se perdido na escuridão.

— Mãe? — tentou chamar por ela, mas ele sabia que não adiantava mais nada.

Havia uma coisa ali. E foi quando sentiu um par de mãos grandes em seus ombros que percebeu que ainda tinha companhia. Ficou inerte, e antes de poder fazer mais alguma coisa, aquela criatura penetrou algo em sua boca, algo grosso e raivosamente gosmento, que começou a rasgar a boca do menino, entrando amargamente em suas entranhas e tomando conta do seu corpo. Tobias calou-se para sempre assim que aquela coisa, além de entrar dentro dele, ainda torceu seus braços de forma inversa, sem pena nem dó.

12 comentários:

@viickliinda disse...

ui que macabro :O

By Coisas Esotéricas disse...

"Havia uma coisa ali. E foi quando sentiu um par de mãos grandes em seus ombros que percebeu que ainda tinha companhia"

TENSO...

Seguindo você!

Anderson disse...

Que blog tenso! Mas curti, bem melhor que muitas histórias de terror por ai...

Einstein² disse...

muito bom o 'ainda tinha companhia'

Data Clipe! por Conrado Cooper disse...

gente, fiquei passado, adoro historias de terror, essa foi demais, coitado do menino, deus me livre ouvir minha mae ou alguem morrendo e n poder fazer nada!

Little Prado disse...

Gosto muito dessas coisas meia misteriosas... cara, adorei o blog. A Principio me deu medo a foto mas depois... ^^ passarei a ler com frequencia, muito bom colega.

RafaelQueiroz' disse...

ui ... TENSO

metal disse...

gostei muito, belo blog

Bárbara disse...

voce msm que escreveu?
achei que esse texto foi mt bem escrito, parabens pelo blog.

Amanda disse...

Horripilante e muito bom.
Imaginei a cena certinho ficou otimo.

mg's disse...

Que bom poder imaginar a cena, embora ela cause um pouco de medo... :)

Laura Spíndola disse...

Sinistro :O